Secretário de Estado de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, garantiu que a região não ficará desassistida de leitos para a Covid-19.

Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes, tem leitos de UTI para Covid-19 Alessandro Batata/TV Diário O secretário de estado de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, avaliou em entrevista ao G1 que os casos da Covid-19 apresentam "estabilidade" no Alto Tietê e disse que a região terá novos leitos de UTI apenas se necessário.

Nesta sexta-feira (10), o governo do estado fará uma nova reclassificação regional do Plano SP e a expectativa é a de que Alto Tietê avance para a fase amarela.

Questionado sobre essa possibilidade, Vinholi respondeu durante a entrevista, na tarde desta quinta-feira (9), que os números ainda seriam avaliados.

Um levantamento do G1 mostrou uma pequena desaceleração das mortes pela Covid-19 no Alto Tietê, ao comparar que para evoluir de 600 para 700 óbitos se passaram 11 dias, enquanto de 500 para 600 foram em 10 dias.

O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) tem cobrado o governo do Estado em relação às promessas de ampliações de leitos de para o tratamento de pacientes com a Covid-19.

Entre as promessas, estavam 60 leitos para o hospital doutor Arnaldo Pezzuti, em Mogi das Cruzes, sendo metade de UTI e a outra de enfermaria, e 90 no Hospital das Clínicas de Suzano, sendo dez deles de UTI.

Vinholi garantiu que a região não ficará desassistida de leitos para tratar os pacientes, mas que no momento não há necessidade de abrir novos leitos.

"Nós fomos aumentando o número de leitos na região.

Há um mês, a média era de 10,4 leitos por 100 mil habitantes.

Hoje está em 16 para cada 100 mil.

A gente verificou que a taxa de ocupação de leitos teve uma queda de junho para cá, de 65% para 58%", explicou Vinholi, que esclareceu ainda que a Secretaria de Estado de Saúde vai avaliar se os respiradores vão continuar nos municípios ao final da pandemia.

Sem detalhar a quantidade e quando, o titular da pasta estadual disse que o Alto Tietê deve receber mais uma remessa de testes para a Covid-19, que visa rastrear o vírus no estado de São Paulo.

O projeto começa em fase piloto em outras regiões do estado.

"Nós verificamos que os municípios que têm uma alta taxa de letalidade, ou acima da média, a gente verifica que é caso de pouco teste, como é o caso de Guarulhos.

Para chegar a um número mais próximo do que é a pandemia na cidade, é preciso que o município tenha uma política de testagem", explicou.

Por fim, o secretário garantiu que o governo do estado está oferecendo empréstimos aos micro e pequeno empresários, por meio do Banco do Povo e o Envolve SP, além de um projeto de retomada da economia nos anos de 2021 e 2022.

Initial plugin text