Mais de 15 espécies podem ser encontradas em ambientes urbanos; Falcões, gaviões e corujas controlam população de ratos, pombos e insetos.

Quiriquiri, um dos menores falcões, pode ser encontrado no perímetro urbano Ananda Porto/TG Neste período de isolamento social as pessoas estão reparando mais na natureza que existe perto das cidades e até mesmo no quintal de casa.

A observação de aves tem sido para muitos uma terapia nesse momento de quarentena.

Sem poder viajar os amantes da natureza estão se dedicando à essa atividade de forma simples: atraindo-as com comedouros.

Mas nem todas as aves poderão ser observadas assim.

Para contemplar algumas espécies a melhor forma é estar sempre atento à janela, pois quando você menos esperar um delas pode dar um rasante no céu, como ocorre com as aves de rapina.

O termo refere-se à espécies imponentes, predadoras, que desenvolveram bicos e garras especiais para capturar alimento.

É o caso de falcões, gaviões e corujas, por exemplo.

Falcão-peregrino se alimenta principalmente de pombos Luciano Lima Em áreas urbanas é possível encontrar uma grande variedade de rapinantes.

Pelo menos 15 espécies diferentes podem ser observadas.

Entre essa diversidade encontram-se aves residentes e migratórias.

Já pensou olhar pela janela do apartamento e se deparar com o falcão-peregrino, a ave mais rápida do mundo? Pode parecer brincadeira, mas isso é extremamente fácil de acontecer. São muitos os fatores que justificam a presença dessas aves vorazes no perímetro urbano.

O principal deles é que na cidade essas aves encontram oferta de alimento e abrigo.Algumas começaram a aparecer em ambientes urbanos devido à perda de habitat natural.

As aves de rapina são belas, poderosas e a presença delas nas cidades é muito importante, principalmente porque ajudam a controlar a população de pragas como ratos, pombos, cobras, escorpiões e aranhas por exemplo.

Quer conhecer melhor seus vizinhos rapinantes? Então confira características de seis deles! Carcará ocorre em quase todo o Brasil chama atenção pelo tamanho Luciano Lima/Diário de Campo Carcará Da família dos falcões, pode medir até 60 centímetros.

Tem as pernas, asas e pescoço longos.

O bico é extremamente forte.

Apresenta uma coloração laranja rente ao bico, denominada cera.

Acredita-se que a cor se modifica de acordo com a fase de crescimento e até dependendo do humor do rapinante.

Alimenta-se de mamíferos, répteis e carcaça de animais.

Pode ser avistado junto com urubus-de-cabeça-preta. Gavião-carijó é o "terror" dos galinheiros, de roedores e aves pequenas Rudimar Narciso Cipriani / TG Gavião-carijó Assim como o carcará, o gavião-carijó é considerado uma das aves de rapina mais conhecidas e populares no Brasil.

Mede cerca de 40 centímetros e é facilmente identificado pela vocalização.

Distribui-se por todo o território brasileiro e é encontrado inclusive em centros urbanos.

Alimenta-se de insetos, aves e lagartos.

É considerado o terror dos galinheiros por atacar pintinhos.

Pode ser visto aos pares ou sozinho.

Rudimar Narciso Cipriani Rudimar Narciso Cipriani Carrapateiro De ampla distribuição pelo Brasil o carrapateiro é considerado uma ave de rapina popular.

Possui as penas da cabeça, peito e dorso brancos, as asas são negras e é facilmente reconhecido por apresentar uma faixa escura rente aos olhos.

Tem o nome associado à alimentação, costuma comer carrapatos que estão presentes em vacas, cavalos e capivara.

Falcão-peregrino é considerado a ave mais rápida do mundo Allisson Cafeseiro/Você no TG Falcão-peregrino Uma das aves de rapina mais famosas e conhecidas no mundo.

Leva a fama de ser o maior e mais rápido falcão.

Imponente, consegue mergulhar no céu a mais de 280 km/h.

Consegue caçar presas em pleno voo.

Se alimenta principalmente de pombos e outras aves.

No passado, a espécie teve um grande declínio devido ao uso de pesticidas.

Suindara pode ser encontrada dentro das cidades Arquivo TG Suindara Conhecida também como coruja-de-igreja.

Essa espécie que possui a face em formato de coração se destaca pelas penas claras em tons creme e esbranquiçadas.

Se alimenta de pequenos roedores e aves e pode ser encontrada inclusive em centro de algumas cidades.

Usa cavidades de árvores para nidificar.